A Corte do Distrito de Jerusalém rejeitou o recurso da Comunidade Messiânica Yad Hashmonah e ordenou a comunidade a pagar uma indenização no valor de $15.000 a duas lésbicas por recusar-se a recepção do casamento em suas instalações.

O Juiz Moshe Hacohen manteve o acórdão anterior que, uma vez que a Comunidade Yad Hashmonah Guest House está aberta para o público, a comunidade não pode impor a sua fé religiosa para grupos ou indivíduos que desejam utilizar as suas instalações.

“Não houve contradições neste caso”, disse Hacohen. “Yad Hasmona recusou-se a permitir a recepção do casamento porque as mulheres são lésbicas. Em seu recurso, a vila afirma que eles têm autoridade para recusar a recepção por causa de sua fé. A maioria dos membros da aldeia são Judeus Messiânicos, que baseiam sua fé nas Escrituras Hebraicas e no Novo Testamento como a Palavra de D-us.” No seu recurso a comunidade explicou que “o estilo de vida destas lésbicas está em absoluta contradição com as Escrituras Hebraicas e do Novo Testamento. As leis que regulamentam a liberdade de religião deve proteger-nos do facto de permitir uma cerimônia em nosso quintal que está em completa contradição com a nossa fé.”

No entando, o Tribunal de Jerusalém determinou que a recusa pelo Yad Hashmonah em permitir a celebração das lésbicas é contra a lei que diz que “é proibida a discriminação de pessoas ao prestar serviços ou entrada em locais públicos.” O juiz assinalou que a sala de reunião da comunidade messiânica é completamente separada da casa de hóspedes, que é um negócio turístico secular. Os advogados da comunidade, Michael Decker e Sarah Weinberg, alegaram que a vila tem o legítimo direito de recusar-se a celebração lésbica dada crenças dos seus membros na Bíblia e sua fé, que proíbe os casamentos homossexuais.

O tribunal concordou que os moradores do Yad Hasmonah tinha todo o direito de praticar sua fé. No entando, uma vez que eles estão executando um negócio secular regular, eles são obrigados a aderir à lei que proíbe a discriminação com base na religião ou preferências sexuais. Se Yad Hashmonah quer abrir o seu negócio para o público em geral, o juiz determinou, então eles devem estar dispostos a prestar serviços até mesmo para pessoas ou grupos que não são do seu agrado ou gosto.

Há muitas casas e empresas em Israel que são de propriedade e operados por organizações messiânicas ou cristâs. A decisão vem como um aviso a todos os estabelecimentos de base religiosa em Israel que eles não podem recusar o uso de suas instalações, uma vez aberto ao público.

© 2014 Ministério Profético Missionário Brasil & Israel.
Topo
Siga-nos: