Nosso Alvo – Uma visão dos tempos!

Yesha’yahu (Isaías) 52 fala do cativeiro do povo do Eterno continuando a explicação do texto em Yesha’yahu (Isaías) 51:14, pois o povo estava preso e não sabia como enfrentar todos os problemas que vinham decorrentes do cativeiro.

Yesha’yahu (Isaías) já estava perdida em relação ao seu relacionamento com o Eterno, mas o Eterno de Israel não se esqueceu da nação escolhida e fez com que o povo novamente percebesse o Seu poderio e as Suas promessas, por isso o Eterno exorta Israel a não temer o que Satanás, principados, potestades, legiões demoníacas e o próprio homem poderiam fazer contra ela. O inimigo assolava o povo escolhido colocando em suas mentes e corações sofrimento, dúvida, dor e angústia (medo), mas o Eterno lembra ao povo dos primórdios da criação de tudo.

A partir de Yesha’yahu (Isaías) 51:17 o Eterno volta-se para Israel e “desperta-a” para o novo direcionamento que Ele estará fazendo na vida da nação. O povo pereceu durante o cativeiro, mas o Eterno começará a amparar o seu povo e a guerrear contra aqueles que foram contra os escolhidos, contra os que os fizeram cativos. O Eterno também é o D-us da justiça, da guerra e da ira. O povo não mais confiava naquilo que o Pai havia prometido para o seu povo e em uma visão futura a uma nação e por isso ela foi humilhada, pisoteada e suja.

Em Yesha’yahu (Isaías) 52, novamente Ele exorta o povo a abrir seus olhos para aquilo que Ele tem de privilégio para ela, a nação – o povo escolhido. D-us manda para que Jerusalém se adorne com os vestidos formosos, os quais são para a festa, bodas do cordeiro e também coloca que não mais haverá imundice na cidade santa, ou seja, o Eterno escolherá quem fica e quem sai da cidade e fará isto se cumprir.

Após tanto tempo em cativeiro o Eterno manda Israel sacudir o pó e soltar as ataduras, em outras palavras, sair do cativeiro, limpar-se espiritualmente e fisicamente, voltar os seus caminhos ao D-us de Israel, jogar fora os trapos de roupas que sobraram e também os utensílios prisionais.

Israel foi raptada sem saber o motivo e nem foi comprada, simplesmente foi feita escrava de nações, povos, credos e pessoas, não se esquecendo das opressões demoníacas e o fardo de entoar louvor para o amado de suas almas em terra estranha e no meio de um povo idólatra com tanta opressão.

O povo havia saído para peregrinar, mas foi surpreendido. Agora o Eterno está em prontidão para começar a ceifar a todos aqueles que blasfemarem contra o povo escolhido e também o nome do Eterno; assim os povos saberão que o Eterno é D-us, de toda a criação e Israel novamente será relembrada como povo escolhido.

O Eterno agrada-se daqueles que anunciam as boas-novas, que prepara o caminho, daqueles que estão na obra e nos mistérios d’Ele. Assim será conhecida Óh Jerusalém, poiso Eterno sairá do seu lugar para colocar Sua mão a favor de Seu povo, assim todos conhecerão que a salvação vem do Eterno através de Ieshua Há Mashiach.

Todos os direitos reservados para equipe: Brasil & Israel

D-us manda que não toqueis e nem ficais no meio das coisas imundas (condição de vida fora dos padrões de D-us) e ordena a purificação do povo no corpo, na alma e no espírito. O povo não será mais opresso, mas a partir de agora o Eterno será a retaguarda e a sua dianteira. É Ele quem abrirá a frente de batalha e pleiteará avante os homens, é o Eterno e não mais o povo escolhido – Israel.